fbpx
Educação Financeira

Educação financeira é o primeiro passo para você começar um negócio

Sumário

Um dos principais objetivos das pessoas caírem na estrada dos negócios é para chegar em um estado de saúde financeira. Se pudesse resumir o significado disso em uma frase, diria que ter saúde financeira é ter controle suficiente do dinheiro para que você consiga realizar seus objetivos de curto, médio e longo prazo. É verdade que chegar lá pode ser uma maratona, de muita educação financeira e disciplina, mas é um processo absolutamente viável.

Ter uma vida financeiramente saudável não é nenhum privilégio de alguns. Depende de você se rearranjar e estabelecer uma meta de vida. Uma vez que você colocar seus objetivos como prioridade, as grandes metas vão se dividindo em pequenas outras e as coisas de repente vão se tornando viáveis. Vale ressaltar que não é um processo de ermitão. É um bom vinho, que quanto mais você toma, mais vontade tem de continuar. É um processo constante de estímulos ver o dinheiro render, ver ele prosperar.

Só assim, com você acreditando que é possível, você estará apto, com a casinha arrumada, a dar os próximos passos e começar, para além de gerir suas finanças pessoais, as finanças de uma empresa. Esse é o intuito desse artigo. Te mostrar como, tendo a prática de organizar sua vida financeiramente, facilitará o caminho para deixar as contas do seu negócio em dia. Confira!

Mas para isso, você precisa ter o hábito de anotar tudo

Você precisa saber como está gastando seu dinheiro. Quanto entra no começo do mês e quanto sai no fim. Você precisa saber quanto dinheiro tem na sua conta no fim do dia.

É dessa maneira que você será capaz de se tornar mestre de suas finanças. Com as coisas na ponta do lápis. Com conhecimento da sua rotina. Avalie seus gastos e defina metas de despesas que levem em conta seus objetivos.

É um trabalho de acompanhamento. Não adianta ter o conhecimento sobre e como fazer se você não souber aonde quer chegar. 

Uma dica que vale para finanças pessoais e empresariais: reserva de emergência

O óbvio: imprevisto é um imprevisto. Não tem como adivinhar. Problema de saúde, consertos gerais, perda de emprego, um maquinário que precisa ser trocado. E para aquilo que foge da regra número 1, de estar no controle total, é melhor prevenir do que remediar.

A reserva de emergências é o que vai te fazer deitar a cabeça no travesseiro mais tranquilo. É o que vai te fazer conseguir alcançar mais, com menos ansiedade e menos agonia. Ela te coloca os pés no chão, te blinda.

Quanto mais atenção nisso, mais rápido você irá ter o necessário para sobreviver financeiramente caso aconteça algum imprevisto. Quanto menos atenção, maior a probabilidade de acontecer qualquer coisa e você não estar preparado.

Mas é uma atitude que literalmente conta qualquer coisa, o tempo que for. Só guarde seu dinheiro em algum lugar com liquidez diária, para que você possa resgatar o dinheiro quando bem entender. 

Organizando as dívidas

Dívidas são um ciclo vicioso. Ninguém entra em uma arbitrariamente. É sempre uma tentativa de diluir o que você não pode pagar no momento – e que com juros, catapulta o valor astronomicamente.

É o parcelado no cartão. É parcelar a fatura do cartão. É o carro financiado. É o aluguel atrasado. Quem entra em dívida, espera contorna-la o mais rápido possível. E esse é o maior erro de todos, porque provavelmente a pessoa não vai conseguir cumprir com os prazos e a bola de neve só vai aumentar. Ela não vai pagar o mesmo que deveu inicialmente.

É impressionante o veneno que são os juros das linhas de crédito – sobretudo do cartão de crédito e cheque especial, os mais acessíveis. Fora isso, tem o cenário de desemprego, que contribui substancialmente para a crise econômica que vive o país.

Organizar as finanças pessoais é o primeiro caminho para ter sucesso no planejamento financeiro empresarial

Independe de quanto você dispõe em mãos. Primeiro é necessário que uma mudança mental tome conta da sua vida. Que você esteja disposto a isso, que você tangibilize. Torne real seu desejo de sair das dívidas. Escreva em um lugar que você possa ver. Execute um planejamento financeiro, faça uma reserva de emergências, gere renda extra e pratique o consumo consciente. Acredite nisso.

Quer saber mais sobre gestão e educação financeira, investimentos e como sair das dívidas? Não deixe de conferir os conteúdos da BPMoney e saiba mais sobre as condições para contar com a ajuda de um assessor de investimentos!

Tem a casa em ordem? Aprendeu os fundamentos de como gerenciar seu dinheiro? Aplique para o seu negócio!

No plano de negócios, o plano financeiro é uma das partes mais importantes, pois é a partir dele que você terá uma noção do investimento total que o negócio demandará. Ele é uma estimativa, mas o ideal é que você faça uma pesquisa aprofundada para o valor se aproximar o máximo possível do real e não ocorrer nenhuma surpresa indesejada.

Como você já deve imaginar, no plano financeiro é preciso levantar o custo de tudo que está dentro do plano de negócio: fornecedores, matéria-prima, equipamentos, funcionários, aluguel de um local, hospedagem de site, campanhas de marketing e mais. Cada um desses valores se encaixa em uma categoria e podemos dividi-los em três: investimentos pré-operacionais, capital de giro e investimentos fixos.

Os investimentos pré-operacionais são todos os gastos feitos antes do negócio começar a funcionar, como reformas, abertura da empresa e registro, compra de domínio e hospedagem para um site, entre outros. Já o capital de giro é o dinheiro que o seu negócio vai precisar para funcionar diariamente – aqui entram compras de mercadorias, fornecedores, salários, marketing e mais. Já os investimentos fixos são as coisas que devem ser compradas para o negócio funcionar normalmente, como equipamentos, máquinas e móveis.

Na hora de abrir um negócio, o planejamento financeiro do empreendedor é uma das partes mais importantes. O que acontece é que muitos focam somente no plano financeiro para o negócio e esquecem do planejamento financeiro pessoal, que é igualmente valioso. Afinal, quando um empreendedor abre uma empresa, é capaz que seu salário seja instável ou até inexistente, se não houver uma boa estratégia.

Se você já fez um plano de negócios, deve ter uma boa noção dos custos gerais e investimento total que o seu empreendimento precisará. Caso contrário, se você ainda não tiver feito um, confira nossas dicas de como fazer um plano de negócios, pois será essencial para esta etapa.

A seguir vamos aprofundar sobre planejamento financeiro pessoal e empresarial para o empreendedor, assim como cuidados muito importantes que ele deve tomar ao mexer com o seu dinheiro e o dinheiro da empresa.

Retiradas e pró-labore no planejamento financeiro

O que muita gente esquece quando abre um negócio é que o lucro da empresa deve ser usado ou para investir em alguma melhoria ou para ser guardado em alguma reserva financeira do empreendimento. Em outras palavras, ele não é o salário do empreendedor, pelo contrário: esse salário deve fazer parte dos gastos da empresa.

Dessa forma, antes de fazer um plano de negócios é preciso definir o seu salário, também conhecido como pró-labore, e é aqui que entra o passo anterior. Com o estudo dos seus gastos mensais e das despesas e lucro estimado da empresa, o ideal é que você chegue em um valor equilibrado. Em outras palavras, que ele não prejudique o seu negócio, mas que ao mesmo tempo seja o suficiente para cobrir suas necessidades com folga.

Separação: como facilitar o planejamento financeiro empresarial e pessoal

Tanto para o planejamento financeiro pessoal quanto para o empresarial, ter contas bancárias separadas é altamente recomendado. Apesar de não ser algo obrigatório por lei, separá-las facilita muito na hora de organizar as finanças. Afinal, não é necessário verificar cada um dos gastos ou correr o risco de você se confundir e pagar um almoço com o lucro do negócio, por exemplo.

Por sinal, pagar contas pessoais com o dinheiro da empresa é um erro bem comum, mas que pode ser fatal para o empreendimento. O problema está na desorganização das finanças da empresa, que pode acarretar em uma interpretação errada do seu sucesso. No caso, pode-se assumir, por exemplo, que a empresa não é lucrativa, quando na verdade os gastos que estão misturados.

Aqui vale comentar também sobre despesas diversas que podem se misturar, mas não deveriam. Se você precisar utilizar o seu carro pessoal para prestar serviços para a empresa, isso deve ser abatido das contas da empresa. Isso também vale para telefonemas, internet e outros gastos. O contrário também vale: se utilizar algo da empresa para uso pessoal, deve pagar a ela ou abater o equivalente diretamente do pró-labore.

Além de facilitar na organização, separar as contas tem benefícios fiscais. Com contas separadas, torna-se muito mais fácil comprovar o faturamento da empresa, assim como fazer a declaração do Imposto de Renda. Caso contrário, seria necessário ficar procurando os gastos pessoais e empresariais em um único extrato. 

Tudo é um hábito

Vê como casa? Vê como o hábito de organizar sua vida financeiramente reflete em como você pensa no gerenciamento dos recursos do seu negócio? Tudo é como você quebra a barreira de mexer com dinheiro e como você é capaz de ter uma visão 360º sobre. Vale para sair das dívidas, para começar a investir e para começar uma empresa.

Mais uma vez, fazendo o convite: se quiser saber mais sobre gestão e educação financeira, além de investimentos e como sair das dívidas, não deixe de conferir os conteúdos da BPMoney. Saiba mais sobre as condições para contar com a ajuda de um assessor de investimentos!

Se esse conteúdo te interessou, não deixe de conferir nosso guia completo sobre como é a Jornada do Empreendedor e se aprofundar ainda mais no assunto!