fbpx
MVP

Tudo sobre MVP: o que é, sua importância e como fazer

Sumário

MVP é a sigla para Minimum Viable Product, que em português é traduzido como Produto Mínimo Viável. Mais conhecido no mundo das startups, esse método pode ser útil em qualquer área do empreendedorismo, pois trata de uma versão simplificada do produto final do seu negócio. Resumidamente, ele é usado para testar, de forma barata e rápida, se a solução pensada de fato funciona e se ela se encaixa no mercado e nas necessidades do público.

Importância do MVP

A ideia por trás do teste do MVP é simples: evitar gastar muito tempo e recursos em uma solução que não cumpre o seu papel ou que pode ser aperfeiçoada. No entanto, é importante não confundir MVP com protótipos ou com uma parte da solução, pois ele deve trazer a ideia do negócio completa para o cliente.

Para ficar mais claro, um exemplo conhecido é o do Groupon. Ao invés dos seus fundadores elaborarem o site com todas as funcionalidades que conhecemos hoje, tudo começou com um blog. Nele, as pessoas se inscreviam e recebiam por e-mail um PDF com vários descontos de lojas diferentes e, se não tivesse um cupom que o cliente quisesse, os empreendedores corriam para conseguir. O sucesso do MVP provou que a ideia de um lugar que reunisse cupons de desconto tinha um público interessado e que era rentável.

Esse exemplo é muito bom, pois deixa claro que no caso do MVP o importante é testar se a sua ideia tem mercado de forma rápida e sem grandes investimentos. Por sinal, apesar de ele ser mais comumente usado por negócios que estão começando, o MVP pode ser elaborado em qualquer fase de uma empresa exatamente pela velocidade de resultados e baixo custo. No caso, é muito comum grandes negócios fazerem esses testes antes de lançar um novo produto, por exemplo.

Outro ponto muito valioso do produto mínimo viável é que como ele é uma forma simplificada da sua solução, é uma etapa consideravelmente mais fácil para fazer mudanças no negócio se preciso. É muito comum que na fase do MVP os empreendedores façam alterações na solução ou que mudem totalmente o rumo do negócio por encontrarem outra proposta de valor mais interessante.

MVP: como fazer

Existem várias formas de fazer um MVP, mas é interessante que todas sigam pelo menos quatro passos: conhecer o cliente e o problema, definir o objetivo e a estratégia, validar a proposta e aprender com o processo.

Conhecer bem o cliente e o problema

Como o MVP é aplicado em potenciais clientes, é importante que o empreendedor conheça muito bem o seu público. Uma forma de fazer isso é conversando ou entrevistando-os acerca do problema que o seu negócio quer resolver e da solução inicial.

Pesquisas com o público-alvo são um passo muito valioso para o negócio, pois é muito comum que nelas ocorram descobertas relevantes acerca do problema ou, inclusive, que os entrevistados dêem insights inesperados sobre o produto. Para ter esse efeito positivo, é preciso que o empreendedor esteja aberto a receber críticas e feedbacks para realizar mudanças no projeto se achar necessário. Mas atenção: nem sempre as sugestões de um cliente serão sensacionais e saber diferenciar as boas das ruins é um dos desafios dessa etapa.

Definir o objetivo e a estratégia

O MVP pode servir para testar uma ideia, mas também uma funcionalidade nova, o mercado e muito mais. Além disso, ele não precisa se restringir a testar uma variável por vez, mas pode avaliar várias ao mesmo tempo. É importante, no entanto, definir exatamente quais precisam ser validadas antes de elaborar uma estratégia.

Uma vez decidido qual o objetivo do teste, é hora de traçar um plano para chegar aos resultados desejados. É possível começar com uma entrevista, seguida de um teste com o MVP do produto. O empreendedor também pode optar por um teste A/B e depois uma conversa para entender as escolhas do cliente. Tudo dependerá do que será testado!

Por isso, nessa parte é recomendado estudar metodologias de validação, pois é preciso ter certeza de que o MVP levará a conclusões verdadeiras sobre o negócio. Aqui vale um alerta: ao desenvolver o produto mínimo viável e aplicá-lo, é preciso tomar muito cuidado para não influenciar o seu cliente e enviesar a opinião dele de alguma forma. Isso pode comprometer todo o teste e fazer com que o processo seja comprometido.

Validar a proposta

A validação da proposta é a parte do MVP em que são realizados os testes com o público-alvo. Nela, é imprescindível que o empreendedor preste atenção nos mínimos detalhes de como o cliente reage ao teste: se teve algum momento que ele não entendeu, se ele utilizou o MVP de outra forma além da esperada, entre outros.

Depois do teste, não deixe de conversar com o seu cliente para entender o que ele achou, tanto de pontos positivos quanto negativos. É nesse momento que novos insights sobre o produto podem surgir!

Aprender com o processo

O MVP não vale nada se o empreendedor não estiver 100% aberto a ouvir seus clientes e mudar o produto ou ideia se preciso. Todo o processo deve ser focado em levar o negócio para a melhor direção de forma rápida e com baixo custo. Por isso, o foco deve ser aprender o máximo possível.

Se durante a validação o empreendedor perceber que precisa mudar de rumo, é importante fazê-lo o quanto antes. Dependendo do tamanho da mudança, será necessário começar do zero. De qualquer forma, uma nova ideia pede um novo MVP até que o produto seja validado por completo ou tenha somente pequenos detalhes para ajustar.

Além disso, como já citado, o MVP é uma ferramenta para sempre ser posta em prática, independente do tamanho ou momento do negócio. Não são poucas as empresas já consolidadas que fazem testes desse tipo antes de lançar um novo produto ou funcionalidade no mercado.

O importante é economizar tempo e dinheiro e ter a liberdade de fazer mudanças rapidamente. Se você está nesse momento e precisa ter uma visão mais ampla para começar a testar o seu produto, confira nosso guia completo sobre “como abrir um negócio“.