fbpx
Público-alvo

Conheça o seu público-alvo para ter bons resultados nas redes sociais

Sumário

Todo negócio procura solucionar problemas enfrentados por um determinado público-alvo e, para atendê-lo da melhor forma, é preciso conhecê-lo ao máximo. A mesma lógica pode ser usada nas redes sociais, afinal é a partir desse conhecimento que será definido o tipo de conteúdo a ser postado, quais redes são as mais indicadas e por aí vai. Tudo para atrair possíveis clientes e fazê-los consumir os seus produtos.

Para isso, há pelo menos duas formas de conhecer melhor os seus clientes: definindo um público-alvo ou personas para o seu negócio.

O que é público-alvo e por que é importante

Para entrar em mais detalhes, público-alvo define quem consome o seu produto e para defini-lo é importante ter algumas informações sobre ele. Algumas delas são:

  • Formação escolar
  • Gênero
  • Idade
  • Profissão
  • Média salarial
  • Onde mora
  • Interesses gerais

Para ficar mais claro, um exemplo de público-alvo é: homens, de 25 a 35 anos, com formação no ensino superior, residentes de São Paulo, que exercem cargos ligados à área de administração, com renda entre R$ 7 mil e R$ 10 mil, e que leem jornais diários.

A importância desse perfil é ajudar o negócio a criar produtos e campanhas de marketing e divulgação com mais eficácia. Em outras palavras, o público-alvo é uma ótima forma de segmentar o seu mercado e entender com qual fatia da população você quer falar.

Como definir o público-alvo

O público-alvo pode ser encontrado tanto por um processo interno, mais indicado para quando a empresa ainda não tem clientes, quanto por pesquisas. Na primeira opção, basicamente o empreendedor – e outras lideranças da empresa, se for o caso – precisa levantar algumas respostas sobre o público. Algumas delas podem ser se o seu negócio atende pessoas físicas ou empresas, se é para um nicho – como empresas de vestuário ou focado em um gênero específico de pessoas -, região que fica ou mora, média de faturamento ou de renda, problema enfrentado, entre outros.

Na segunda opção, as pesquisas podem ser grandes aliadas da sua empresa, principalmente se ela já tiver clientes. Se for o caso, basta criar uma pesquisa simples e enviar para eles, o que faz com que as respostas sejam muito mais verdadeiras e eficazes para delimitar o público-alvo.

Por sinal, é importante saber que não é preciso ter somente um público-alvo: quanto mais, melhor. Um exemplo comum é o público-alvo geral da empresa e os específicos para cada produto ou serviço. Isso é útil, porque o seu negócio pode oferecer soluções mais complexas ou de qualidades diferentes como forma de atender uma gama maior de clientes. Aqui vai depender da estratégia do seu negócio como um todo.

Com a definição do público-alvo também fica mais fácil criar personas do negócio, uma parte bem mais específica do estudo dos clientes.

Personas: o que é e qual a diferença?

Com as novas tecnologias, tornou-se necessário desenvolver ferramentas para agradar os clientes de forma mais segmentada e menos massificada. É aqui que entram as personas, que são um retrato de consumidores ideais que juntos compõem o quadro maior que é conhecido como público-alvo. Ou seja: enquanto o público-alvo é um conjunto de informações mais genéricas dos seus clientes, as personas são perfis quase fictícios que trazem especificidades dos tipos de clientes do negócio.

Dessa forma, tanto o público-alvo como as personas são formas de entender melhor os clientes, mas elas podem ter resultados diferentes. No primeiro, o negócio terá uma visão geral que ajudará a dar um rumo para o seu negócio, mas no segundo, será possível ir além, desenvolvendo estratégias de comunicação e vendas específicas para cada perfil.

Com as personas, espera-se acertar mais em cheio em quem são os clientes, possibilitando não só que o negócio seja bem sucedido, mas que estratégias de marketing e divulgação em redes sociais sejam um sucesso. Afinal, as personas oferecem mais informações que ajudam a definir a linguagem usada nas divulgações, em quais redes sociais a empresa deve investir, os assuntos mais interessantes e até melhores momentos para ofertar um produto.

Um exemplo de uma persona é: João tem 32 anos, é formado em administração e é gerente em uma multinacional. Seu salário é de R$ 14 mil, mas está insatisfeito profissionalmente e pensa em abrir o próprio negócio, é casado e seu hobbie preferido é jogar videogames. As redes sociais que mais usa são Youtube e Instagram, onde consome conteúdos sobre empreendedorismo.

A importância das personas é ter mais assertividade ao impactar os clientes certos, melhorando a comunicação e posicionamento da empresa no geral, mas também em relação a redes sociais, aumentando as vendas, assim como a fidelização de clientes e, como consequência, a rentabilidade do negócio.

Como definir uma persona

As personas podem ser consideradas uma versão mais detalhada do público-alvo, portanto, não é de se surpreender que o ponto de partida para defini-las é exatamente ele. A partir das informações coletadas para definir o público-alvo, é preciso desenvolver algumas características fictícias que podem provocar mais empatia da equipe de marketing, fazendo com que ela entenda melhor inclusive os possíveis comportamentos de cada persona. Algumas delas são:

  • Nome e história
  • Hábitos de compra
  • Estilo de vida
  • O que faz de lazer
  • Ambições
  • Redes sociais mais usadas
  • Por que usa o produto ou serviço da empresa

Assim como o público-alvo, o ideal é que cada negócio tenha mais do que uma persona. Para isso, é importante ser feito um estudo aprofundado das características citadas acima. Ao traçar as personas, certifique-se que elas tenham diferenças claras entre si, não só em relação ao perfil mas também em relação a quais produtos do seu negócio elas seriam clientes, por exemplo.

Um cuidado importante para essa parte do processo é não se deixar levar pela animação e criar infinitas personas e públicos-alvos. Ter de três a cinco perfis é um bom número, mas outra forma menos arbitrária de definir esse máximo é ter um para cada produto ou serviço do seu negócio. Assim, todos os tipos de cliente que a sua empresa atrai, ou quer atrair, ficam contemplados.