fbpx
A história do Esporte Interativo

A história do Esporte Interativo: da TV ao fenômeno das redes sociais

Sumário

A história do Esporte Interativo é recheada de grandes marcos na televisão brasileira e, agora, sob a alcunha de TNT Sports, também no digital.

Em 2007, quando o Esporte Interativo abriu sua rede de sinal na TV aberta brasileira, o Brasil era confirmado pela Fifa como o país sede da Copa do Mundo de 2014. 

Mais: o brasileiro Kaká ganhou a tradicional Bola de Ouro, desbancando os então novatos Messi e Cristiano Ronaldo. No campeonato brasileiro, o Corinthians empatava com o Grêmio e caía pela primeira vez em sua história à série B.

Bem, de lá para cá, aconteceu a Copa do Mundo de 2014, o Brasil levou um sonoro 7×1 da Alemanha nas semifinais, Kaká continuou sendo o último brasileiro a levantar o prêmio individual de melhor do mundo e o Corinthians mudou o curso da sua história com as conquistas da Libertadores e do Mundial de Clubes. 

A história do Esporte Interativo é daquelas improváveis, mas que municiada de uma equipe de excelência, conseguiu prosperar. 

Uma história que começa com uma agência de publicidades, que cria a Copa do Nordeste, se aventura por canais abertos, traz a evolução do futebol europeu a solo tupiniquim e hoje é um dos maiores cases da democratização de conteúdo esportivo na internet.

Trabalho esse construído em um ambiente sem vaidades, um diagnóstico contrário ao que o mercado oferece para o ofício. Ambiente cujos jornalistas se apoiam e vibram um com a vitória do outro, fortalecendo uma forte cultura organizacional, que abocanhou a empatia do público.

Esporte Interativo sempre foi interativo. Sempre falou com e para o seu público. Para além de entender um movimento natural do mercado, o EI acertou em cheio no formato: usou da identificação para cativar um gigantesco público. 

E não como recurso, mas como uma virtude que é sua. As pessoas se identificam com a paixão de seus profissionais e como expressam para o mundo.

Vivemos em tempos cada vez mais incertos (com menos previsibilidade e mais dificuldade de planejar algo com assertividade) e mais complexos e voláteis (o ritmo de nossa sociedade é veloz e as mudanças são mais bruscas do que antigamente).

Nesse cenário, faz-se necessária, a todo o momento, nossa capacidade de criar, recriar e cocriar, respondendo ao mundo externo de uma forma mais atenta e sensível.

O case Esporte Interativo/TNT Sports é a personificação dessas virtudes.

A história do Esporte Interativo até TNT Sports

A história do Esporte Interativo começa em 2004, sob a chancela da agência TopSports, arrendando horários na TV aberta para transmissão de Campeonatos Europeus de futebol, eventos de basquete, esportes olímpicos e radicais. Em 2007, o projeto deixou de ser exibido em redes parceiras, e passou a ter seu próprio canal na TV fechada. 

Seguiu a linha editorial que ditou seus primeiros anos: uma programação repleta de jogos de diversos campeonatos europeus e a cobertura dos principais eventos e atletas olímpicos. 

A primeira transmissão ao vivo em sua grade foi uma partida entre Chelsea e Liverpool, válida pelo Campeonato Inglês, com narração de André Henning e comentários de Vitor Sérgio Rodrigues – dois pioneiros do canal e que continuam até hoje na casa.

Em 2010, a emissora fez uma parceria com o Grupo Estado e passou para o sinal aberto, sob os domínios da TV Eldorado. No ano de 2011 veio o primeiro salto: eventos FIFA, como, Copa do Mundo Sub-17, Copa do Mundo Sub-20, Copa do Mundo de Futebol Feminino, Copa do Mundo de Futebol de Areia, Mundial de Clubes, foram transmitidos pelo canal.

O grupo ainda detinha os direitos de transmissão da da NFL, principal liga de futebol americano do mundo.

Ainda com uma veia nos esportes olímpicos, o Esporte Interativo liderava o projeto “Brasil de Ouro”, nascido da sua parceria com o Ministério do Esporte, o COB – Comitê Olímpico Brasileiro – e o CPB – Comitê Paraolímpico Brasileiro.

Como parte do projeto, o Esporte Interativo divulgava e promovia o esporte olímpico e paraolímpico brasileiro em sua programação. Eram pioneiros na arrancada pelo fomento das modalidades.

Em 2012, o canal lançou o EI Plus, serviço de streaming que possibilitava acompanhar a programação do canal ao vivo pela internet, além de acesso aos conteúdos já transmitidos.

Em 2013, o Esporte Interativo passa por uma reformulação. A revista Veja anunciou que a Turner Broadcasting System seria sócia majoritária e que ocuparia duas das sete cadeiras do Conselho de Administração do canal. Dois anos depois, em 2015, o grupo americano adquiriu 100% dos direitos do Esporte Interativo. 

Para a Turner, foi uma forma de entrar no mercado brasileiro com uma estrutura já pronta, ainda que por ser melhorada, e com uma marca já conhecida pelo público. Adquiriu os direitos da Champions League, da Liga Europa e da Eurocopa – e assumiu para si a missão de trazer para o Brasil um futebol de alto nível.

O primeiro investimento da Turner foi no Esporte Interativo Nordeste, que já havia criado a Copa do Nordeste. Compraram os direitos de exibição dos campeonatos de Alagoas, Ceará, Rio Grande do Norte, Piauí, Paraíba, Maranhão e Sergipe. Mais: promoveu debates locais e ajudou a desenvolver o futebol nordestino em âmbito nacional. 

Em 2018, o Esporte Interativo vivia a expectativa de exibir o Campeonato Brasileiro a partir de 2019. Em julho daquele ano, outra boa notícia: a renovação por três anos da Champions League. O cenário era o melhor possível. 

Acontece que o Grupo Turner anunciara que o Esporte Interativo deixaria de existir como uma emissora de televisão. Os motivos giraram em torno de receita e pelo fato de que a AT&T, proprietária da Turner, também controlava a Sky, e segundo a legislação brasileira, uma operadora não poderia atuar também como uma programadora. 

Os eventos que eram transmitidos nos canais pagos passaram a ser exibidos nos canais TNT e Space e o Esporte Interativo, como conhecíamos, saiu do ar em 25 de setembro daquele ano.

Mas esse não foi o fim para sua jornada. Uma jornada de resiliência cujas reviravoltas sempre foram tão malucas quanto o Milagre de Istambul. A Turner foi incorporada pela WarnerMedia, criando o canal TNT Sports – e remodelando o futuro do Esporte Interativo.

Ainda que o formato de conteúdo seguisse o que foi construído ao longo da marca Esporte Interativo, desde as transmissões alugadas em canais de TV aberta no início dos anos 2000, o foco passou a ser sua manutenção nas redes sociais, com alguns programas da grade migrando definitivamente para o Youtube.

A nova marca TNT Sports surgiu no Brasil dentro de uma proposta panregional, a partir da criação da Warner Media Latin America, o que catapultou os resultados do extinto EI.

Principais momentos do Esporte Interativo

A Top Sports, além de criar o Esporte Interativo, foi a responsável por operacionalizar a Liga do Nordeste e organizar todo o marketing da Copa do Nordeste no fim da década de 1990.

O produto como vemos hoje, é por conta dessas pessoas. 

Um trabalho iniciado lá atrás, que colheu os frutos principalmente em 2013, quando a Copa do Nordeste se tornou um campeonato anual recorrente no primeiro semestre do calendário do futebol. 

A promoção, aliada ao desejo dos clubes, fez o evento ressurgir com muita força. Cobiçada devido a premiação em dinheiro, a Copa do Nordeste virou um evento de primeira prateleira no Esporte Interativo, que exibiu a atração entre 2013 e 2018. 

Até hoje os fãs de futebol nordestino agradecem o EI por ter valorizado os times da região como nunca antes havia acontecido.

Outro grande momento do Esporte Interativo foi o Mundial de Handebol feminino de 2013. Fora do radar das grandes emissoras esportivas naquele ano, o evento foi uma aposta totalmente no escuro, mesmo com a expectativa em cima de uma geração com grande potencial. 

Em uma campanha de jogos apoteóticos, aliada a uma repercussão colossal à epoca nas redes sociais, o título inédito só foi exibido pelo Esporte Interativo e até hoje é lembrado com carinho por fãs de esportes olímpicos.

O EI já brigou contra os grandes também. Quando o Grupo Turner adquiriu o Esporte Interativo, também comprou os direitos da UEFA Champions League, tirando o evento da ESPN Brasil após 20 anos. 

A aposta era mostrar ao público brasileiro o futebol em seu mais alto nível – tiro certeiro, que hoje angaria milhões e milhões de visualizações a cada jogo transmitido. 

Mas não foi só em seu DNA europeu: passou a negociar com clubes insatisfeitos com o tratamento da Globo para tentar transmitir o Campeonato Brasileiro na TV paga. Ao todo, 17 clubes foram convencidos a assinar contrato. 

Poderia ser mais: a Turner prometia um pagamento nove vezes maior comparado à Globo, que como resposta igualou os termos propostos pela sua concorrente. Houve discordâncias na relação e desses 17 clubes convencidos a assinar, alguns ficaram. O contrato vai até o fim de 2022.

TNT Sports, democratização de plataformas e aposta no digital

Fernanda Arantes, jornalista esportiva, conversou com o Foras de Série, em um de nossos FS Cast, e comentou muito sobre a democratização de plataformas e a aposta no digital para o futuro das transmissões. Confira:

Desde que o Esporte Interativo se tornou TNT Sports, a marca registra mais de 150 milhões de pessoas visitando seus domínios todos os meses. 

Em 2021, só em seu perfil do Instagram, foram mais de 306 milhões de interações — 93% a mais do que a soma de seus concorrentes —, 50 milhões no Facebook e 3 milhões no Twitter, além dos 77 milhões de views no YouTube. Em junho de 2022, são 9 milhões de inscritos em seu canal.

O sucesso se baseia em uma entrega multiplataforma, em uma linguagem interativa capaz de atingir diferentes públicos. Aposta na informação, mas também no contraponto do entretenimento. 

“Nós buscamos sempre a conexão com o sentimento do nosso fã. Nosso conteúdo multiplataforma é, no final, um enorme lugar de conversa para a imensa comunidade engajada que temos em todas as nossas redes.”, afirmou em uma ocasião Diego Vieira, Diretor de Conteúdo de Esportes da WarnerMedia Brasil.

Recentemente, a TNT Sports fechou um acordo para transmitir a Uefa Champions League e o Campeonato Paulista pela plataforma de streaming HBO Max. 

Transmite também partidas da NBA ao vivo e gratuito no seu canal do YouTube e detém direitos da Nations League e Eliminatórias Européias no Estádio TNT Sports, extinto EI Plus. 

A TNT Sports começa a mostrar caminhos que, definitivamente, o esporte não será mais um produto exclusivo das transmissões de TV.