fbpx
Educação financeira para iniciantes

Educação financeira para iniciantes: tudo o que você precisa saber

Sumário

Está começando? Esse é um artigo sobre educação financeira para iniciantes, em parceria com o Portal Dindim por Dindim, da Sumup. Leia neste material a explicação sobre este termo e algumas dicas especiais para suas finanças!

Ah, o dinheiro! Item fundamental no nosso dia a dia, não é mesmo?

Com ele é possível pagar as contas, realizar sonhos e objetivos e levar a vida numa boa!

Mas nem sempre é tão fácil assim!

Mesmo tendo um trabalho e recebendo um salário ou algum tipo de renda, muitas vezes as pessoas não conseguem fechar as contas do mês no azul e ter aquela sobrinha especial dedicada ao lazer e aos planos futuros.

Para conquistar isso, é necessária a chamada: educação financeira

E, você? Sabe o que significa educação financeira e como conquistá-la?

Confira a seguir um artigo especial do Dindim por dindim, portal de educação financeira e empreendedorismo da SumUp, para te ajudar nesta jornada rumo à educação financeira!

O que é educação financeira?

Falar em educação financeira é falar principalmente em consciência e organização.

Consciência para ter noção da realidade, de quanto se ganha e de quanto é possível gastar.

E organização para fazer um orçamento, listar ganhos e gastos, além de planejar os objetivos. 

A educação financeira não é conquistada apenas na teoria de cursos e livros. É na prática que ela é feita.  

Ela está diretamente relacionada a fazer escolhas, com informação e conhecimento.

Qual o objetivo da educação financeira?

Se você é iniciante, saiba que o objetivo da educação financeira não é apenas economizar. 

Economizar é sim uma importante lição, mas não é a única. E sim, saiba que é possível economizar ganhando pouco.

Com a educação financeira você consegue organizar as finanças, ajudando a saúde do seu bolso e sua qualidade de vida. 

Uma boa noite de sono com as contas em dia é tudo de bom, não é mesmo?

Ter um planejamento adequado faz com que você consiga:

  • Evitar dívidas.
  • Honrar com seus compromissos em contas básicas, por exemplo: aluguel, água, luz e internet.
  • Ter momentos de lazer, como: comer fora, ir ao cinema, fazer um almoço especial para seus amigos e família.
  • Realizar sonhos – que dependem principalmente de um orçamento bem estruturado.

E muito mais!

O objetivo da educação financeira pode ser resumido em fazer com que você saiba como funciona o dinheiro.

A partir do recebimento dele: o que priorizar? Como gastar? O que deixar de lado no presente para uma experiência futura? Como fazer compras melhores? Pagar à vista ou parcelado?

E assim vai.

Mas como começar?

Iniciantes: como começar a organizar as finanças?

Imagine a seguinte situação: 

Beth e Pedro são casados e juntos ganham R$4.000,00

Eles não possuem filhos e moram de aluguel em um apartamento no centro da cidade pelo valor de R$1.500,00. Com gastos com luz, água e internet os dois gastam R$500,00.

Ou seja, os gastos totais com moradia saem por R$2.000,00 por mês, a metade da renda do casal. 

Para o mercado, Beth e Pedro, reservam R$1.000,00 por mês. Este valor é suficiente 

para uma boa alimentação, além de alguns gastos extras para comprar guloseimas e bebidas de vez em quando. 

Eles não possuem carro. O que para o dia a dia não tem tanto impacto para o deslocamento dos dois, já que Beth trabalha em home office, como designer, e Pedro trabalha em uma loja de eletrônicos próximo a casa dos dois. 

Quando precisam ir a algum compromisso utilizam o transporte público da cidade ou aplicativos. 

Para gastos de lazer, cartão de crédito e gastos extras emergenciais, o casal deixa separado R$700,00.

Numa breve conta podemos perceber que dos R$4.000,00 que Beth e Pedro ganham por mês, sobram R$300,00.

GANHO: R$4.000 – R$2.000,00 (moradia) – R$1.000,00 (mercado)  –  R$700,00 (gastos extras do mês) = R$300,00.

Este valor, o casal divide em duas poupanças:

R$ 150,00 para comprar um sofá novo

R$ 150,00 para uma reserva de emergência

Legal, não é mesmo?

O que você pôde ver neste exemplo do casal Beth e Pedro é a educação financeira na prática.

A partir de um orçamento bem definido, com gastos organizados, vivendo de acordo com suas possibilidades e guardando para dois objetivos específicos. 

E para você começar a organizar suas finanças o caminho a ser seguido é claro, com o entendimento e aplicação de 3 itens fundamentais:

  • Organização
  • Controle
  • Planejamento

Com organização você consegue saber exatamente as entradas (ganhos) e saídas (gastos) do seu dinheiro.

Com o controle você consegue priorizar gastos, listando os que são essenciais daqueles que podem ser feitos em outro momento.

E o planejamento te leva além. Na concretização de algo futuro que você deseja a partir da soma dos dois itens anteriores (organização e controle). 

Para que você consiga colocar isto em prática aqui vão algumas dicas de nós da DinDim para você!

Dicas de educação financeira para iniciantes

Agora que você já viu o que significa educação financeira e como começar a organizar suas finanças, seguem alguns itens especiais para quem quer começar a gastar com equilíbrio e objetivos!

  • Conheça suas finanças

Você sabe quanto você ganha. Mas mais do que isso você precisa saber quanto gasta.

E isso envolve as chamadas contas fixas, por exemplo:

  • Aluguel
  • Luz
  • Internet

E também as variáveis.

Mas você deve estar pensando: como conhecer meus gastos variáveis?

Como o próprio nome já diz os gastos variáveis não são fixos e podem variar de um mês para outro. 

Porém, você pode reservar um valor fixo para você gastar nestes tipos de compras. Este valor será o máximo que você pode gastar com determinados produtos e serviços.

As contas fixas (F) + contas variáveis (V) têm como resultado o total que você gasta por mês.

E este valor NUNCA pode ser maior que o que você ganha. Para evitar o comprometimento das suas finanças com dívidas, além de deixar seu nome sujo em órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa. 

  • Elimine suas dívidas

Caso você já tenha gasto mais do que ganha e possua dívidas, a prioridade é negociar as dívidas quitar elas!

Antes de gastar mais com itens variáveis, deixe apenas os fixos como essenciais naquele momento, até que você consiga ficar com suas contas em dia. 

Negociar com bancos suas dívidas de cartão e parcelar contas em lojas são saídas para que sua vida financeira volte aos trilhos. 

  • Monte planilhas e anote seu orçamento

Para conhecer suas finanças e eliminar suas dívidas é essencial anotar a sua movimentação financeira.

Os antigos caderninhos deram espaço para as planilhas online. Seja qual for sua escolha, coloque no papel ou na tela do seu computador mensalmente o dinheiro que entra e sai da sua conta.

Você pode fazer na seguinte forma:

ENTRADAS – Todo tipo de dinheiro que você recebe, também detalhando de onde ele veio. Caso você seja prestador de serviços digitais, por exemplo, e atenda vários clientes, liste exatamente qual cliente realizou o pagamento e o valor. 

SAÍDAS – Nesta coluna insira onde você gastou e qual valor. Ela pode ser dividida, inclusive, para gastos fixos e variáveis.

Além disso, caso possua dívidas, insira na planilha o valor total e quanto será o parcelamento para determinado mês, assim você consegue saber o que está comprometido de tudo que ganha para pagá-la. 

Uma dica é separar por cores cada um dos elementos, além de colocar o status de cada um deles, ex: pago, atrasado, etc. E também a data de vencimento de cada uma das suas contas. 

PLANOS E METAS – Aqui você pode listar seus objetivos de curto, médio e longo prazo.

Quanto precisa para cada um deles? Quanto pode pagar por mês (como se fosse um compromisso similar a uma conta)? e Qual o prazo para a realização?

São itens que devem ser listados na planilha do seu orçamento!

Separamos um vídeo pra complementar algumas dicas de finanças pessoais para iniciantes que vão mudar a sua vida.

Abaixo seguem também algumas dicas de livros de educação financeira para te ajudar!

Livros sobre educação financeira pra quem quer se aprofundar no assunto

Alguns especialistas da educação financeira – percebendo a dificuldade das pessoas de organizarem as finanças, controlando os gastos e poupando – escreveram livros que servem de manuais para que os leitores passem a incorporar em suas rotinas hábitos financeiros saudáveis. 

São alguns exemplos desses livros, que unem: popularidade e conteúdo:

  • Orçamento sem Falhas SAIA DO VERMELHO E APRENDA A POUPAR COM POUCO DINHEIRO. Autora: Nath Finanças.

Neste livro a autora, referência na internet por tratar de forma leve e didática temas financeiros,  fala sobre as principais questões do dia a dia, como:

Lista de compras

Planejamento

Relação com cartão de crédito

Diferença entre desejo x necessidade

E muito mais!

  • Me Poupe!:  10 passos para nunca mais faltar dinheiro no seu bolso. Autora: Nathalia Arcuri

Um livro referência em planejamento financeiro é o da autora Nathalia Arcuri. 

Nele é destacada a importância de ter foco, estabelecer prioridades e até mesmo abrir mão de uma coisa momentânea por um objetivo maior. 

O leitor irá encontrar: exemplos práticos da organização financeira, situações reais, planilhas e exercícios práticos.

Confira também os 10 passos simples que a autora coloca para nunca mais faltar dinheiro em seu dia a dia!

  • Como organizar sua vida financeira – Gustavo Cerbasi

Outro livro referência se tratando de orçamento e finanças pessoais é o do consultor financeiro Gustavo Cerbasi.

No livro são listados alguns tópicos importantes para a criação de uma rotina financeira equilibrada, como:

  • o autoconhecimento em relação ao dinheiro
  • a forma de comprar e
  •  a maneira inteligente de usar o parcelamento das compras no cartão de crédito. 

Além disso, o autor destaca os investimentos como itens a não serem esquecidos, podendo ser vistos, inclusive, como compromissos dentro do orçamento para o bem-estar financeiro. 

Com a leitura destes livros, mais as dicas inseridas neste artigo, você conseguirá praticar a educação financeira e começar a organizar as suas finanças!