fbpx
as melhores redes sociais para cada negócio

FSIndica: as melhores redes sociais para cada negócio

Sumário

Ao contrário do que muitos pensam, definir quais as melhores redes sociais para o seu negócio não é uma questão tão óbvia assim. Cada uma delas têm suas características próprias, assim como foco e público diferentes. Por exemplo, enquanto algumas focam muito em divulgar o estilo de vida do público, outras são usadas para fazer contatos profissionais e por aí vai.

De qualquer forma, as redes sociais são ambientes nos quais além de atingir o público do negócio com mais assertividade, também é possível coletar dados importantes sobre ele, entendendo suas necessidades, hobbies e ambições. Por isso, é essencial a presença do negócio nessas plataformas, mas principalmente nas que fazem sentido para ele e onde o público dele está.

Abaixo, você confere as redes sociais mais usadas no Brasil e para quais públicos e conteúdos elas são mais indicadas:

Facebook: a rede das notícias

Entre as melhores redes sociais para cada negócio, o Facebook é uma das mais famosas do mundo, o que significa que ela é uma das mais usadas também. Só no Brasil, ela conta com cerca de 130 milhões de usuários e 98% das empresas ao redor do mundo têm um perfil na rede ou a utilizam de alguma forma. Mas cuidado: não adianta só chegar e criar que o sucesso está garantido. Apesar de abrigar uma grande quantidade de pessoas, o conteúdo para essa rede deve ser pensado com calma. 

O Facebook é uma das redes sociais que mais promove interação social, com muitas discussões entre usuários tanto em grupos como em postagens. Em outras palavras: quem está nele não está de passagem, mas sim para comentar e compartilhar publicações que achar relevantes, assim como entrar em contato com pessoas que tenham os mesmos interesses.

Exatamente por essas características, postagens de notícias, artigos, conteúdos de blog e informações em vídeo ou imagens vão muito bem. O importante é que elas provoquem os seguidores a interagir com a publicação de alguma forma – marcando conhecidos, comentando ou compartilhando. O foco é apostar em conteúdos de interesse do público que conversem com a sua marca. No entanto, cuidado: o ideal é evitar polêmicas, pois apesar de gerar engajamento, pode dar uma imagem negativa para o negócio.

E sejamos honestos, o Facebook fornece muitos dados. A única outra rede que chega perto é o Twitter. A quantidade de informações que você pode obter do Facebook sobre o desempenho de suas postagens, dados demográficos do público e rastreamento de campanha é incrível.

Embora ter todas essas informações disponíveis seja bom, só é útil se você entender quais dados são valiosos para o momento da sua empresa. É por isso que reunimos 3 métricas do Facebook que sua marca precisa rastrear.

Engajamento

O engajamento mede o número de vezes que alguém agiu em suas postagens. Isso pode significar clicar em um link, compartilhar sua postagem, reagir ou deixar um comentário.

Existem algumas maneiras de rastrear o engajamento. A primeira é por meio do Facebook Insights.

Trata-se de uma das métricas mais importantes do Facebook que você pode rastrear. Por um lado, o engajamento é um sinal de que as pessoas realmente gostam do conteúdo que você está compartilhando. Mas outro motivo pelo qual é tão valioso é que pode dar às suas postagens mais exposição para o seu público.

Se uma de suas postagens receber uma tonelada de engajamento, isso sinaliza para o Facebook que é popular, então eles estarão mais propensos a revelá-lo para seus seguidores.

Alcance

Alcance é o número de pessoas pelas quais seu conteúdo é visto no Facebook. Isso pode ser feito por meio de esforços pagos ou orgânicos. Como mencionamos anteriormente, o Facebook mudou para um feed baseado em algoritmos. Como resultado, muitas empresas viram quedas drásticas na quantidade de pessoas que seu conteúdo alcança organicamente. 

Nem todos os seus posts recebem o mesmo nível de sucesso. Isso ilustra a importância de rastrear o alcance. Ajuda você a aprender e entender o que seu público gosta e por que certas postagens superam outras.

Impressões

Outra métrica do Facebook relacionada à visibilidade de suas postagens são as impressões. Enquanto o alcance informa quantas pessoas viram suas postagens, as impressões medem o número de vezes que elas foram vistas. Isso inclui se uma postagem foi vista várias vezes por um único usuário.

As impressões podem dar uma boa ideia da natureza “viral” de uma postagem. Por exemplo, se uma pessoa viu uma postagem uma vez em seu feed e depois novamente quando um amigo compartilhou, isso são duas impressões.

Instagram: foco no visual

Entre as melhores redes sociais para cada negócio, o Instagram é hoje uma das mais utilizadas no mundo e no Brasil. Cerca de 70% de brasileiros que têm acesso à internet afirmaram que tem uma conta na rede social, assim como 48% dos usuários no mundo já compraram algum produto ofertado ou mencionado nela. Apesar de ser uma rede que começou somente com fotos, hoje ela traz diversos tipos de conteúdos que podem favorecer um negócio.

Com um alto índice de engajamento, o Instagram é uma rede social indicada para conteúdos muito visuais, sejam eles fotos, vídeos ou stories. Ele é muito eficaz na venda de produtos por ter funcionalidades como loja, onde é possível cadastrar produtos com o link direto para o site do negócio, por exemplo – lembrando que as fotos dos produtos têm que chamar atenção!

Exatamente pelo viés visual, o Instagram é muito indicado para o marketing da empresa, inclusive institucionalmente. Fotos de eventos, assim como revelar os bastidores do negócio (mostrar como os produtos são feitos, por exemplo) são conteúdos bem-vindos. Outras formas de aproveitar a rede é interagir e engajar o público com enquetes nos stories, uma ótima forma de, inclusive, conhecê-lo melhor.

Se você é novo no mundo dos dados e análises, saber quais métricas do Instagram monitorar pode parecer uma tarefa difícil. Mas a verdade é que compreender e analisar essas métricas pode ser revolucionário para o crescimento da sua marca.

Para ajudar a tornar essa missão mais fácil, compartilhamos 3 métricas para você ficar de olho e incluir dentro da sua estratégia. Confira:

Alcance

Quando se trata de monitorar o desempenho de sua marca no Instagram, alcance é uma das métricas mais importantes a se levar em consideração. O alcance mostra quantas contas únicas viram uma postagem sua e, portanto, quanto reconhecimento você está conquistando.

Se uma postagem receber um alcance maior (ou menor) do que o normal, você pode usar esses resultados como uma visão para postagens e stories futuros. Quais hashtags você usou? O seu CTA (call to action) foi otimizado para engajamento? Houve algo diferente no tipo de imagem que você compartilhou que poderia ter resultado em um engajamento maior (ou menor)?

Todos esses fatores podem ter um impacto direto no alcance de uma postagem, portanto, vale a pena observar todas as alterações que podem contribuir para um aumento ou diminuição em suas métricas.

Salvamentos

Considere o tipo de conteúdo que seu público provavelmente salvaria como uma referência para explorar, como citações ou carrosséis com dicas ou como fazer algo.

Taxa de engajamento

Sua taxa de engajamento no Instagram é um indicador chave de quão bem o seu público está respondendo ao seu conteúdo. Se seus seguidores estão comentando, curtindo, salvando e compartilhando seu conteúdo, sua taxa de engajamento irá mostrar isso.

Então, como você calcula essa taxa? Não existe uma regra, mas o consenso geral é que está relacionado a este cálculo: divida o número total de curtidas e comentários pela contagem de seguidores e multiplique por 100 para obter uma porcentagem.

Se você perceber que sua taxa de engajamento é alta, significa que uma grande parte das pessoas que o seguem estão ativamente engajadas com seu conteúdo – você está no caminho certo.. Por outro lado, se sua taxa de engajamento for baixa, isso pode significar algumas coisas: talvez seu conteúdo não esteja atraindo seus seguidores ou você não esteja postando no momento certo.

Ficar de olho nessa métrica é a chave para o sucesso de longo prazo, pois você pode apontar exatamente o que ressoa com seu público – e usar esse insight valioso ao seu favor futuramente.

YouTube: audiovisual e educação

Entre as melhores redes sociais para cada negócio, com mais de 2 bilhões de usuários, o YouTube é referência quando o assunto é audiovisual. De fato, é difícil passar um dia que seja sem ser impactado por um conteúdo da rede – tanto compartilhado em outras redes sociais quanto navegando por ela. Mas é importante saber que não é qualquer conteúdo, pois 31% do público acessa a plataforma para consumir vídeos educativos ou com viés de aprendizado.

Essa fama não veio do nada: o YouTube existe desde 2005 e acumula, além de inúmeros vídeos, verdadeiras comunidades de usuários. Essas comunidades podem girar em torno de influenciadores ou canais de marcas, mas é importante saber fazer os conteúdos certos. Em outras palavras, pensar em vídeos que atraiam o seu público e que sejam engajantes, estimulando quem assiste a comentar e compartilhar com a própria comunidade.

Além de ser uma forma do seu negócio atrair clientes com conteúdos interessantes, o YouTube é uma das únicas redes sociais onde também é possível monetizar. Ou seja: vídeos de sucesso são remunerados pela plataforma, o que pode significar outra fonte de receita para o seu negócio.

Como funciona o algoritmo do YouTube

Neste artigo de pesquisa publicado pelos engenheiros do Google Paul Covington, Jay Adams e Emre Sargin, eles analisam os sinais que usam para classificar vídeos para recomendações do YouTube:

  • Taxa de cliques (probabilidade de alguém clicar em seu vídeo depois de assisti-lo);
  • Tempo de exibição (a quantidade combinada de tempo que os espectadores passam assistindo seus vídeos);
  • Quantos vídeos o usuário assistiu em seu canal;
  • Há quanto tempo o usuário assistiu a um vídeo sobre este tópico;
  • O que o usuário pesquisou no passado;
  • As informações demográficas e a localização do usuário.

Os primeiros três sinais são os únicos que você pode influenciar diretamente. O resto depende de fatores externos ao seu canal para personalizar a recomendação.

Esses engenheiros do Google até afirmam que seu objetivo final de classificação é “geralmente uma função simples do tempo de exibição esperado por impressão. A classificação por taxa de cliques muitas vezes promove vídeos enganosos que o usuário não conclui (‘clickbait’), enquanto o tempo de exibição captura melhor o engajamento”.

O YouTube está penalizando apenas quem promete demais antes do clique e entrega um conteúdo decepcionante depois dele. A taxa de cliques continua tão importante como sempre. Afinal, você não pode gerar muito tempo de exibição para a plataforma sem primeiro receber cliques.

Você pode até ver essas prioridades refletidas no Youtube Studios. Na guia “Alcançar espectadores”, você pode ver as seguintes métricas, que juntas ilustram a nova ênfase do Youtube na taxa de cliques e no tempo de exibição:

  • Impressões: quantas vezes as miniaturas de seu vídeo foram mostradas aos espectadores como um vídeo recomendado, na página inicial ou nos resultados de pesquisa;
  • Origens de tráfego para impressões: onde no Youtube as miniaturas de seu vídeo foram exibidas para espectadores em potencial;
  • Taxa de cliques (CTR) de impressões: a frequência com que os usuários assistiram a um vídeo depois de ver suas miniaturas (com base nas impressões conectadas);
  • Visualizações de impressões: mede a frequência com que os espectadores assistiram a seus vídeos depois de assisti-los no Youtube;
  • Tempo de exibição a partir de impressões: tempo de exibição originado de pessoas que viram seus vídeos e clicaram neles no YouTube.

Twitter: novidades em poucas palavras

Entre as melhores redes sociais para cada negócio, assim como o Facebook, o Twitter é uma das redes sociais onde trazer notícias é uma das melhores apostas. No entanto, o grande diferencial entre as plataformas é que, enquanto na empresa de Zuckerberg o foco são grandes postagens e discussões, no Twitter a aposta é velocidade, resultado do limitador de caracteres, marca registrada da rede.

Dessa forma, é importante atrair o público de forma rápida e sucinta e, se preciso, direcioná-lo para um link onde o assunto poderá ser discorrido com mais calma (e espaço). Notícias e novidades vão muito bem na rede, sendo aconselhado também conteúdos com dados interessantes de pesquisas que tenham uma boa chance de serem compartilhados.

O Twitter é diferente de todas as redes – atribua profissionais específicos para ela

Você precisa garantir que suas contas sejam monitoradas e ativas – e que alguém esteja de olho em tudo que está acontecendo. As conversas no Twitter são rápidas, portanto, é perceptível para seus seguidores, que se você não estiver checando regularmente, você não tem uma presença profissional o suficiente.

Certifique-se de que todos tenham clareza sobre suas responsabilidades. Muita cobertura pode trazer seus próprios problemas, se vários membros da equipe estiverem tentando responder aos mesmos tweets e oferecendo respostas redundantes ou conflitantes. 

Atribua responsabilidades da maneira correta. Mas dê atenção devida.

Você precisa de um guia de marca para manter suas comunicações claras e consistentes. As diretrizes também ajudam a integrar novos membros da equipe e evitar contratempos e erros nas redes sociais.

Isso tudo exige uma voz autêntica e atraente. Mesmo que vários membros da equipe compartilhem a responsabilidade por sua conta, seus tweets devem ter um tom consistente. Embora todas as marcas (e suas contas) tenham uma voz única, existem alguns pontos em comum entre as melhores:

  1. A voz de sua marca deve ser consistente em todas as plataformas e comunicar os valores de sua marca. Você está nervoso? Engraçado? Inspirador? Essas qualidades devem ser transmitidas por meio de seus tweets;
  2. Seja humano. Ninguém gosta de um tweet que soe como vindo de um robô ou script. Os usuários do Twitter querem saber se há uma pessoa real ouvindo e interagindo com eles por trás de sua conta. Opte por uma linguagem simples e acessível em vez de jargões e abreviações;
  3. Seja original. Não tweet a mesma mensagem repetidamente. Cada um de seus tweets deve ser único, caso contrário, você parecerá spam;
  4. Seja sincero. O objetivo do Twitter não é atrair seguidores a qualquer custo; é para ajudá-lo a se conectar com os clientes e construir confiança com eles.

Linkedin: a rede corporativa

Entre as melhores redes sociais para cada negócio, o Linkedin é uma plataforma mais formal, mas não significa que tenha menos sucesso. Somente no Brasil há mais de 32 milhões de usuários, sendo que 99,7% dos usuários no mundo utilizam para fazer networking e buscar parcerias. Aqui já dá para ter uma boa noção do viés que o perfil de uma empresa deve ter, certo?

No caso, o Linkedin é uma das redes sociais mais interessantes para apostar com força em conteúdos corporativos, sendo talvez a mais indicada para negócios que estão no momento de procurar parcerias – ou que querem isso em um futuro próximo. Em outras palavras, divulgar novidades da empresa, assim como oportunidades e eventos são uma boa pedida.

Outra dica é fazer conteúdos relacionados ao mercado onde seu negócio atua, um exemplo é compartilhar notícias da área focando em provocar engajamento da rede, algo que pode dar muito certo.

Se esse conteúdo sobre te interessou, não deixe de conferir nosso guia completo sobre como Monetizar suas Redes Sociais e se aprofundar ainda mais no assunto!