fbpx
8 dados interessantes sobre marketing de influência em 2021

8 dados interessantes sobre marketing de influência em 2021

Sumário

Marketing de influência é uma forma de marketing em que o foco é colocado em indivíduos-chave específicos, em vez de no mercado-alvo como um todo. Nos últimos cinco anos, passou da obscuridade à uma forma de marketing em que até mesmo as maiores marcas entendem seu valor. 

Esse é o conceito. Em palavras mais simples, é o marketing feito pelos influenciadores. É esse tsunami de gente ganhando uma montanha de dinheiro pela influência que exercem em sua base digital. E isso vale para praticamente todos os setores: moda, esporte, música, turismo, gastronomia, entretenimento… A lista segue como um pergaminho que rola no chão. 

Existem influenciadores do ramo de piscinas. Existem influenciadores para cada profissão hoje em dia. Onde há um ofício, há alguém que seja um porta voz e que se destaque na comunidade. Essa exposição garante oportunidades comerciais naturais, pela penetração orgânica e de conversa com o público que essas marcas querem chegar.

Existem os micro influenciadores, os influenciadores de médio porte, os grandes influenciadores. E existe todo um mercado para apoiar e metrificar essa operação de influência, que tenta trazer para o marketing uma cara mais humana e natural, de identificação.

Um dos grandes cases daqui do Brasil é Bruno Carneiro, o Fred Desimpedidos, que mostra que se manter no topo exige muita persistência e honrar bastante aqueles que o seguem. Batemos um papo com ele. Confira:

Outro destaque que sai da entrevista é a questão do nicho, que vai de encontro com o que falávamos acima. O nicho de Fred é o futebol, o que o torna um grande influenciador. Mas existe nicho para tudo – e se você for bom e expandir suas capacidades para a comunicação, porque é necessário, você pode influenciar pessoas interessadas no que você tem para dizer.

Tem que ser autêntico. Aí a coisa se torna explosiva e movimenta esse mercado de bilhões. Selecionamos 15 estatísticas, baseadas na pesquisa da Influencer Marketing de 2020, relacionadas a esse mundo, para que você entenda a que magnitude chegou.

O marketing de influência deve chegar a US$ 13,8 bilhões em 2021

Quando a pandemia chegou, tinha uma preocupação de que o marketing de influência poderia ter uma queda. Aconteceu exatamente o contrário. Enquanto alguns setores, especialmente o de turismo, tiveram que reconfigurar totalmente a forma como faziam seu marketing, outros foram capazes de adaptar seus modelos justamente usando influenciadores. 

De US$ 1,7 bilhão em 2016, esse modelo de marketing cresceu para US$ 9,7 bilhões em 2020. Espera-se que chegue a US$ 13,8 bilhões em 2021.

Nada mais justo. Em um mundo que parou e conseguiu pelo menos levantar algumas questões acerca de valores de consumo, campanhas focadas única e estritamente em produtos não fazem muito mais sentido. Não gera identificação. As pessoas não se relacionam mais diretamente com os produtos, mas sim com as marcas, com seus valores e com o propósito que propagam para o mundo.

Ter um “embaixador”, que já puxa uma base orgânica para fortalecer a sua, se tornou um movimento natural para quem quer ter um rosto lhe representando. Mais do que um rosto, um conjunto de valores que são acompanhados diariamente por fãs fiéis pelas redes sociais.

Estamos no ano do fenômeno Juliette Freire, ex-campeã do BBB 21. Ao entrar no BBB, Juliette escolheu algumas pessoas de confiança como administradores de seu perfil. 

Contudo, precisaram contratar mais, entre redatores, designers, editores e produtores de conteúdo, que se revezam entre todas as plataformas que a participante está presente durante 24 horas por dia. Ter uma equipe competente te faz ter uma resposta mais rápida, adaptando a linguagem da rede social de maneira certeira ao seu público.

Assim como um produto ou serviço, Juliette se posiciona como uma marca forte. Para construir sua imagem, adotou cactos e elementos nordestinos: tanto que seu fandom é denominado cactos.

Tanto seu conteúdo nas redes sociais, quanto na sua personalidade, Juliette definiu o arquétipo que chamamos de “Bobo da Corte”: divertida, engraçada, mostra suas “gaiatices”, o fato de falar demais, de ser estabanada, suas vulnerabilidades, deixam-na ser “gente como a gente”.

Em 2019, 240 plataformas e agências focadas em marketing de influência surgiram

Conforme o modelo tomou forma, mais e mais agências surgiram para agilizar e simplificar o contato de marcas e influenciadores. Com a adição de 240 plataformas em 2019, o número total de agências atingiu 1.360, quase três vezes o número que existia apenas alguns anos atrás.

É um mar de oportunidades não só para a marca e para o influenciador. Pode ser custoso o contato direto. O conflito de agendas poderia tornar impossível a relação e não permitir o modelo florescer. Um intermediário, que agencia e controla as ações dos interessados, é a chave essencial para que exista uma gestão de processos eficiente.

Existe todo um ecossistema que envolve esse pessoal. Agências de publicidade contam com essas agências de influenciadores para atenderem seus clientes, as marcas buscam assessoria diretamente com essas plataformas. Existem diversas vias de contato.

No Brasil, talvez quem mais se destaque no setor é a Spark. Também temos um papo muito interessante com o fundador Rafael Coca. Dá uma olhada:

75% das marcas pretendem dedicar um orçamento independente para marketing de influência em 2021

É normal que empresas possuam um orçamento macro para a equipe de marketing. Nos últimos anos, vimos isso se ramificar principalmente para um orçamento independente para o marketing de conteúdo. Agora as empresas estão dedicando seus recursos para outra área em específico: marketing de influência.

Como as cifras são altas, se faz necessário um ótimo planejamento estratégico. Planejar, através de um processo sistêmico e dentro de um contexto analisado, os caminhos para atingir os objetivos planejados para sua empresa. É estratégia. Não é andar por achismos. É traçar uma rota no GPS e ter cada ponto de parada para reavaliação de percurso, para que tudo saia dentro dos conformes e você chegue no seu destino.

Você precisa analisar o ambiente, por onde vai percorrer, definir metas e agir adequadamente para chegar onde deseja. E ter a pessoa certa, que se encaixe dentro dessas diretrizes que você definir. Só dessa forma, você consegue destinar o recurso mais assertivamente.

Se o objetivo de um planejamento estratégico é fazer a empresa prosperar, você tem que gerir suas finanças de forma inteligente e saudável. É a segurança que vai fazer com que cada passo que seja necessário dar, você consiga fazer sem se enrolar. Você precisa ter tudo registrado, é o termômetro do seu negócio.

90% dos respondentes da pesquisa acreditam que o marketing de influência é uma forma eficaz de se comunicar

Um impressionante número de 90% dos entrevistados na pesquisa indicou que acredita que o modelo é eficaz. Essa estatística tem se mantido bastante consistente ao longo dos anos.

Exatamente por essa inversão de valor de consumo. Não são mais as pessoas que se ajustam às marcas. São as marcas que se ajustam às pessoas. Você precisa da influência e da vida real de Juliette sobrepostas aos seus números. De que adianta você moldá-la do jeito que você quer, enquanto todo mundo a conhece pelo que ela é? Influenciador é sobre vida real – e seguindo as tendências de relacionamento com o consumidor, é certamente uma das formas mais eficazes de se comunicar.

O foco é a conexão que Juliette e tantas outras pessoas que são denominadas como influenciadoras geram. Uma marca só será aceita por essa comunidade de seguidores se tiverem um canal genuíno e verdadeiro para se relacionar. E como isso pode ser feito? A palavra é co-criação e linearidade de discurso entre marca e influenciador.

56% das marcas usam os mesmos influenciadores em diferentes campanhas

Justamente por esse caráter de identificação, a maioria das marcas prefere desenvolver relacionamentos de longo prazo com influenciadores, em vez de encontrar diferentes influenciadores cada vez que veicula uma campanha. 

Marcas maiores provavelmente terão uma lista de influenciadores com os quais trabalham, dependendo do mercado-alvo ou dos produtos que estão tentando promover, mas isso ainda não muda o fato de que os relacionamentos são importantes para esse tipo de comunicação.

Você está lidando com pessoas. E esse relacionamento precisa de segurança, principalmente daqueles que fazem a parada acontecer, que garantem uma coisa muito massa para um negócio: engajamento, produtividade, estabilidade e a possibilidade de crescer e ter boas projeções. 

38,5% das marcas veem o sucesso de marketing de influência com base em conversões e vendas

As marcas estão cada vez mais se concentrando em usar o marketing de influência para gerar ações reais e que impactam positivamente seus resultados financeiros. É por isso que 38,5% das marcas acreditam que conversões e vendas são a forma mais importante de medir o sucesso de suas campanhas de marketing. Outras marcas medem o sucesso com base no engajamento ou cliques (32,5%) e visualizações, alcance, impressões (29%).

Principalmente depois desse 2020, o digital foi democratizado de vez. Se antes já era utilizado para qualquer tipo de processo que dependesse de qualquer tipo de software que fosse, com a necessidade das pessoas ficarem em suas casas e os estabelecimentos fecharem suas portas, a padaria precisou abrir um canal no WhatsApp.

A Geração Z é uma geração hiper cognitiva, capaz de viver múltiplas realidades, presenciais e digitais. Eles transitam por diversas comunidades, não importa a ideologia. Essa geração já nasceu social. 

Para se ter uma ideia, de acordo com pesquisa da Socialnomics, eles se sentem mais confortáveis em não ter apenas uma única forma de expressar a própria identidade, o que gera mais liberdade e abertura para entender as diferenças de outras pessoas e outras gerações.

É um pessoal ultra conectado, criativo e não está em busca apenas de autoafirmação. São mais práticos que os millennials. Essa combinação é um combustível poderoso para olhar os problemas sob uma nova ótica e gerar soluções para dores que as pessoas nem sabiam que existiam.

Realmente, são nesses pequenos detalhes, que você entende que o digital foi democratizado. Tem o caso do Free Fire, que te permite entrar em um jogo que há muito pouco tempo seria restrito para console ou para um computador com capacidade de processamento razoavelmente alta, em um smartphone de qualquer faixa.

Não acompanhar esse movimento é um erro crítico. De percepção de consumo mesmo. Quando você entende o que está disponível e a forma que as pessoas consomem, você encontra dores – e para toda dor existe uma solução.

Thiago Ventura é outro que encontrou uma solução para o seu mercado e explodiu.

67% das marcas usam o Instagram como drive de marketing de influência

O Instagram é a rede de escolha para campanhas de marketing de influência, com 68% das marcas considerando-o a plataforma mais importante. Embora ainda seja uma maioria sólida, caiu 80% em 2020.

Em contraponto, a porcentagem de marcas que usam o TikTok continua a aumentar.

O TikTok agora vem em segundo lugar para as plataformas mais importantes para o marketing de influência. Este ano, 45% dos entrevistados indicaram que estão usando o TikTok para esse tipo de comunicação.

Muitas marcas estão olhando de perto sobre como a rede social está moldando a cultura e promovendo conversas relevantes ao redor do mundo. O TikTok é uma das plataformas que mais crescem e atualmente tem 800 milhões de usuários ativos, o que o coloca à frente de gigantes como LinkedIn, Snapchat, Pinterest e Twitter. 

Em comparação, o Instagram levou seis anos para ter o mesmo número de usuários ativos que o TikTok possui. O TikTok foi baixado mais de 2 bilhões de vezes na App Store e no Google Play. Com uma taxa de crescimento tão rápida, existem oportunidades gigantescas para as marcas ativarem campanhas de marketing na plataforma. 

67% dos entrevistados preferem que seu marketing de influência seja baseado em campanhas, em vez de always on

Embora as marcas prefiram construir relacionamentos de longo prazo com os influenciadores, elas ainda pensam no marketing de influência em termos de campanhas, em vez de algo contínuo. Isso significa que, assim que uma campanha for concluída, uma nova será planejada, organizada e programada.

Tempos exponenciais. Não é mais um crescimento linear, é totalmente variável e explosivo. Como então acompanhar essa velocidade imprevisível? Não vá dizer que o ramo da hotelaria estava preparado para o impacto que o Airbnb, que conectava quem tinha um canto para alugar com quem queria uma alternativa de hospedagem, faria. 

Tudo é muito rápido, então é natural pensar ainda em um freio de mão para todas as ações de marketing com um único influenciador.

Se esse conteúdo de Marketing de Influência te interessou, não deixe de conferir nosso guia completo sobre Ganhar Dinheiro com Redes Sociais e se aprofundar ainda mais no assunto!