fbpx
Digitalização

Digitalização: como usar a favor do seu negócio

Sumário

Muitas empresas optam por não digitalizar o próprio negócio ou então fazê-lo de forma desleixada, criando no máximo uma rede social para a marca – e nem atualizando o perfil… Além de ser uma forma de conseguir muito mais clientes e vendas, a digitalização permite que processos sejam automatizados, análises super aprofundadas sejam feitas e, em poucas palavras, a empresa decole.

Por isso, confira tudo sobre como digitalizar (e decolar) o seu negócio!

Como a digitalização pode reduzir os custos do seu negócio

Sabia que ao adotar ferramentas digitais e parar de usar papéis para os documentos e processos da sua empresa é possível economizar até 40% dos gastos? Isso, porque além dos custos que envolvem os materiais, tudo precisa ser armazenado de alguma forma – o que gera ainda mais despesas.

Mas não para por aí: ter um negócio online também pode significar não estar tão vulnerável a crises econômicas ou a imprevistos externos, como foi o caso da pandemia do Covid-19 – o que já seria uma outra forma de prevenir despesas que podem ser evitadas.

Para evitar ter gastos desnecessários com a sua empresa, a seguir você confere como digitalizar o seu negócio:

Documentos impressos são sinônimo de gastos…

Como citado, documentos impressos podem ser um dos grandes vilões de manter um negócio fora do universo digital. Há uma estimativa, inclusive, que cada funcionário pode chegar a usar até 10 mil folhas de papel por ano, o que pode chegar a um gasto de aproximadamente R$ 400 por pessoa/ano.

Além disso, digitalizar os documentos do seu negócio também trazem outras economias. Uma delas é com os equipamentos como impressoras, a manutenção delas e os gastos com tintas. A outra é com o armazenamento de todos esses documentos que se em formato impresso podem precisar de vários armários e às vezes até uma sala só para guardá-los.

… Mas é bom armazená-los no lugar certo

Sim, digitalizar os documentos da sua empresa é um ótimo recurso para reduzir  gastos, mas a melhor forma de potencializar essa estratégia, ainda mais se o seu negócio for pequeno, é optar por armazenamento em nuvem. Caso contrário, os gastos com espaço e equipamentos, por exemplo, podem continuar altos, uma vez que um data center (ou seja, um lugar destinado a todos os servidores e HDs da empresa) exigem manutenção e são uma opção mais viável para empresas de grande porte.

A opção de nuvem, por sua vez, entra como uma aliada interessante, uma vez que há diversos planos mensais oferecidos por empresas do ramo. Eles oferecem muito espaço por valores bem abaixo do que a manutenção de documentos físicos exigiria. Isso sem falar na praticidade de poder acessar todos esses dados de qualquer lugar que tenha internet!

Menos processos, maior produtividade

Antes de tudo, uma das principais vantagens de digitalizar e automatizar o seu negócio é ter uma empresa mais produtiva. Isso, porque geralmente os profissionais responsáveis pela documentação da empresa tem uma boa parte do seu tempo gasta com burocracias desnecessárias e tarefas repetitivas.

Por exemplo, fazer o acompanhamento de vendas e cadastrar uma por uma em uma planilha do Excel pode levar horas. Se o negócio tiver um software de gestão de vendas o cenário muda: o processo pode ser feito automaticamente e o profissional que gastaria tempo com isso fica livre para outros afazeres.

Por sua vez, a digitalização também ajuda na gestão de uma equipe, já que realizar tarefas repetitivas podem causar frustração no funcionário, que tem o seu potencial desperdiçado em funções que uma máquina pode fazer – inclusive melhor que humanos. Tirando-o dessas funções, ele pode ser melhor aproveitado, dedicando-se a tarefas mais estratégicas na empresa, coisas que as máquinas ainda não são capazes.

Com a digitalização, as chances de erros são reduzidas

Por falar na produtividade de máquinas, o ser humano não foi necessariamente feito para fazer trabalhos repetitivos. Os erros cometidos quando um profissional é designado para uma tarefa do tipo podem ser vários, o que muitas vezes resultam em um efeito bola de neve, no qual toda uma cadeia de processos é prejudicada por um pequeno descuido. Não é preciso dizer que para corrigir o erro depois, muito tempo é demandado da equipe.

As máquinas e programas de automatização fazem esse trabalho com uma margem mínima de erro e, mais importante, de uma forma muito mais rápida e eficiente. O que, em outras palavras, significa em uma redução de custos para a empresa no curto e no longo prazo.

Com a digitalização, custos de produção vão abaixo

Otimizar todos ou pelo menos a maioria dos processos da sua empresa fazem com que a redução de custos seja bem significativa. No entanto, também é relevante falar sobre o quanto a digitalização do seu negócio pode afetar diretamente no desenvolvimento dos produtos, o que, por sua vez, pode aumentar a margem de lucro deles.

Dependendo do tipo de negócio, é possível pesquisar se há empresas ou serviços digitais que possam ser contratados para agilizar partes do processo de produção. Outra opção também é a digitalização do negócio em si no formato de um site ou e-commerce.

Presença online é redução e prevenção de custos

Há algum tempo, ter um site para o seu negócio deixou de ser uma opção e virou mais um pré-requisito. Além das vendas online cresceram de forma expressiva todo ano, tornando-se um dos canais mais relevantes para fazer negócios, essa possibilidade é muito mais econômica do que lojas ou espaços físicos, por exemplo.

É claro que nem toda empresa pode se dar o luxo de funcionar inteiramente online, uma vez que há negócios que comercializam produtos ou serviços que dependem da experiência do usuário. Ao mesmo tempo, por mais que seu canal principal sejam lojas físicas, ter uma presença online pode trazer inúmeros benefícios e economias.

Um deles é aumentar o alcance do público, tornando seu negócio conhecido por mais gente, algo que pode ser feito por impulsionamentos em redes sociais com um custo muito baixo. Outro é estar blindado para qualquer imprevisto que possa ameaçar suas vendas presenciais. Aqui entram desde reformas no espaço até situações inesperadas, como foi o caso da pandemia do Covid-19.

Nesses casos, ter uma loja online faz com que mesmo durante imprevistos a comunicação e vendas com os clientes continuem sem problemas. Dessa forma, não é preciso criar um site do zero no auge da crise, algo que ainda demorará para dar resultados significativos e, sem dúvida, trará muitos custos e prejuízos para o seu negócio até lá.

Digitalização e automatização no seu negócio: saiba como aumentar sua produtividade

Muito ligado à redução de custos, o aumento de produtividade de um negócio a partir da digitalização traz inúmeras vantagens, sendo a principal delas uma aceleração dos processos. Afinal, é impossível falar da digitalização de uma empresa sem mencionar a possibilidade de automatizar algumas funções e otimizar o tempo dos profissionais envolvidos.

O que é automatização e como ajuda na produtividade?

Muito mais simples do que parece, a automatização é quando uma tarefa repetitiva deixa de ser realizada por uma pessoa e é assumida por um robô ou programa de computador. A ferramenta muitas vezes entrega o trabalho de forma rápida e eficiente, liberando o profissional que antes se ocupava com isso para realizar tarefas mais importantes.

Por exemplo, na área de atendimento de uma empresa é muito comum que existam algumas perguntas que são sempre feitas diversas vezes ao dia. Por mais que a resposta esteja em um FAQ no site, os clientes continuam entrando em contato para saber sobre ela. Ao mesmo tempo, há outros clientes com problemas mais complexos que precisam de ajuda. Nesse cenário, o profissional de atendimento acaba gastando o tempo dele respondendo inúmeras vezes as mesmas perguntas ao invés de focar em casos que realmente demandam atenção. 

É aqui que a automatização entra. Com a contratação de um chatbot é possível programar respostas automáticas para as perguntas mais frequentes. Como resultado, o profissional tem tempo para ajudar clientes com questões mais complexas e o atendimento aumenta o volume de dúvidas respondidas, assim como o tempo de resposta.

Dessa forma, ao contrário do que muitos pensam, a automatização vem muito mais para ajudar no trabalho do profissional que para substituí-lo. Exatamente por causa disso é importante saber que para automatizar processos, geralmente alguns requisitos são essenciais.

O que é preciso para automatizar processos?

Antes de tudo, é preciso analisar os processos da empresa e tentar identificar se há os chamados gargalos, que geralmente são etapas que atrasam tarefas e que poderiam ser realizadas de forma mais eficiente. Não são todos gargalos que podem ser automatizados, exatamente por isso deve prestar atenção se eles:

  • São tarefas repetitivas, uma vez que a automatização fará a etapa muito mais rápido;
  • Se tem regras específicas, já que sem elas há dificuldade de programar a ferramenta ou não existe uma solução automática ainda;
  • Tem grande impacto, para poder priorizar as mais importantes e também saber se vale ou não o investimento em alguma ferramenta.

Para entender melhor, vamos trazer novamente o exemplo do atendimento. É possível concluir que ele era um problema automatizável, pois:

  • Era repetitivo, pois as mesmas perguntas eram feitas todos os dias;
  • Tinha regras específicas, pois consistia da mesma resposta;
  • O impacto era grande, pois afetava o atendimento ao cliente como um todo na empresa.

Depois de entender se os processos podem ser automatizados, é importante estudar sobre as ferramentas disponíveis no mercado. Nessa etapa é bom ter um tempo livre para dedicar à pesquisa, porque existem inúmeras soluções, cada uma com suas particularidades. Para escolher a melhor, é preciso entender o que a sua empresa precisa.

Os chatbots, como já citados, são um tipo de solução, mas há outros softwares muito comuns específicos para gestão de áreas como atendimento, com o CRM (Customer Relationship Management), logística, com o SCM (Supply Chain Management), e projetos, com o PPM (Project and Portfolio Management).

Se a empresa for de grande porte e atuar no setor industrial, por exemplo, a automatização pode atuar na forma de máquinas robustas que inclusive são responsáveis por boa parte do processo, ou em casos mais raros, pelo processo inteiro. Há de tudo.

Quais os processos que são mais automatizados?

Mesmo com as dicas acima, pode não ser fácil identificar quais processos podem ser automatizados ou ter dificuldade de achá-los no mercado. Por isso, também trazemos uma lista como os mais comuns das principais áreas de uma empresa.

Marketing

Com a chegada da internet e a força das redes sociais, o público tem migrado cada vez mais para as mídias digitais, sendo muito impactado por elas ao invés de somente pelos grandes meios de comunicação, como a televisão. Uma das consequências disso é que hoje é muito mais atraente para a audiência ser tratada de forma individual e personalizada.

Só que há um problema: se uma empresa têm muitos clientes, como mandar um e-mail para cada um deles de forma personalizada? Escrever um por um seria impossível e, claro, é aqui que entra a automatização no marketing. Com ferramentas conhecidas como CRM (Customer Relationship Management, ou Gestão de Relacionamento com o Cliente), é possível mandar o mesmo e-mail para todos os clientes, ou um grupo deles, com o nome de cada um. Também dá para personalizar o conteúdo de acordo com o tipo de perfil do cliente e muito mais.

Comercial

Uma das áreas mais importantes para automatização em uma empresa, o comercial traz impactos diretos para a gestão financeira, principalmente em termos de faturamento e controle de fluxo de caixa. Algumas das automatizações possíveis na área comercial são:

Controle do faturamento e das vendas: monitoramento do fluxo de caixa e identificação de oportunidades para redução de gastos;

Atendimento ao cliente e vendas: acompanhamento de cada atendimento, velocidade de resposta, taxa de solução dos problemas, assim como automação de vendas por meio de canais digitais variados e integração de todos os canais de atendimento;

Estoque e produtos: controle de estoque e produtos, relatórios de vendas, análise de preços, entre outros.

Documentos

A gestão de documentos, em sua maioria contratos, é uma das áreas que tem muitas ofertas de otimização, não só para organizá-los, mas para elaborá-los. Por exemplo, se a sua empresa sempre precisa contratar vários fornecedores e os documentos são iguais ou muito similares, pode ter certeza que há uma solução no mercado que agilizará todo esse processo, gerando os contratos automaticamente.

Além do claro aumento da produtividade, uma vez que não é preciso que um profissional faça esse trabalho em cada documento ou contrato, há redução de custos, maior eficiência e velocidade.

Digitalização de um negócio é conseguir analisá-lo de forma aprofundada

Hoje há uma enorme quantidade de dados gerados constantemente por uma empresa: tanto sua performance em vendas, no controle de estoque, na gestão financeira como também as interações nas redes sociais, por exemplo. Ao mesmo tempo em que esses dados são extremamente valiosos para avaliar o desempenho do negócio, é preciso de ajuda para estruturá-los – de preferência uma ajuda automática e com o menor grau de erro possível.

Além disso, é importante centralizar as informações em algum lugar ou ferramenta, que de preferência consiga cruzar os dados e fazer análises ainda mais completas. Caso contrário, é possível que as informações fiquem espalhadas pela empresa, cada uma em uma área de atuação, por exemplo. Nesse cenário, não é possível para o empreendedor ter uma visão macro de como andam os negócios e de como prosseguir.

No entanto, antes de falar sobre as ferramentas que são essenciais para estruturar e ajudar a analisar esses dados, é importante definir algumas coisas antes.

O que fazer antes de digitalizar e analisar seus dados

Antes de implementar qualquer novidade ou estratégia em um negócio, é primeiro preciso se certificar que a equipe como um todo entende e acredita no potencial da digitalização para o negócio. Não adianta os chefes implementarem a novidade sem o interesse ou crença do time ou o contrário, uma equipe quiser trazer isso sem os chefes acreditarem na iniciativa.

Nesse cenário, as chances da digitalização do negócio não dar certo ou não atingir o seu potencial máximo são grandes, pois esse processo depende diretamente da cooperação de toda a empresa na adoção dessas tecnologias e principalmente migração para elas. Em outras palavras, qualquer falha nessa trajetória faz com que os dados ou informações possam ficar desalinhados, o que pode trazer grandes prejuízos para a empresa no geral.

Para evitar essa situação e fazer com que a digitalização funcione da melhor forma possível, é interessante que seja realizado algum tipo de treinamento ou reunião geral que envolva a equipe como um todo. Nela, é legal apresentar a novidade e as vantagens que ela trará para todos e abrir para perguntas e respostas. É importante que as principais dúvidas sejam esclarecidas e que nenhum profissional se sinta ameaçado pela chegada da tecnologia, por exemplo.

Outro pré-requisito é entender a situação atual do negócio e os pontos mais urgentes para melhorias. Por isso, com a ajuda das informações de gestão da empresa e também levando em consideração os objetivos estabelecidos para o curto e longo prazo, o ideal é mapear e priorizar onde a digitalização teria um impacto mais relevante em um primeiro momento.

Aqui é essencial que o cenário pré-digitalização esteja bem documentado para ser possível acompanhar os efeitos e resultados gerados pelas novas ferramentas depois. Assim, será mais fácil entender se houve melhorias ou se seria melhor mudar a estratégia ou tecnologia, por exemplo.

Como estruturar e analisar dados: as ferramentas digitais 

Aqui, as ferramentas disponíveis no mercado são grandes aliadas, pois são capazes de gerar gráficos automaticamente e fazer análises que ajudam na tomada de decisão em termos de estratégias e planejamento da empresa. Outra vantagem de digitalizar um negócio é a possibilidade de poder fazer análises mais aprofundadas.

Confira alguns tipos de ferramentas de gestão indispensáveis para você que está pensando em digitalizar o seu negócio:

Customer Relationship Management (CRM)

O CRM (ou Gestão de Relacionamento com o Cliente) é um sistema focado em todas as pontas de contato da empresa com o cliente. Ele reúne informações de vendas, marketing, atendimento ao cliente e suporte no geral. Com ele, é possível ter acesso a todas as interações realizadas com um cliente, seja por WhatsApp, e-mail ou outras redes sociais. Muitos deles geram dados como, por exemplo, tempo de resposta, mensagens não respondidas, entre outros.

Supply Chain Management (SCM)

O sistema SCM (ou Gestão da Cadeia de Suprimentos) é usado para coletar e armazenar dados referentes a toda cadeia de suprimentos de uma empresa, envolvendo as compras, planejamento e o funcionamento da área. Por meio, dele ocorre a integração desde os processos mais iniciais, como o fornecimento de materiais, até os finais, com a entrega do produto.

Esse sistema é responsável pelo controle de estoque, por exemplo, o que permite que ele mesmo entre em contato com fornecedores de forma automática para comprar itens que estão em falta – e na quantidade exata, sem exageros.

Project and Portfolio Management (PPM)

O PPM (ou Gestão de Projetos e Portfólio) é uma forma de centralizar todos os projetos e portfólios de uma empresa em um lugar só. Isso inclui ter uma visualização geral dos trabalhos que já foram completados, os que estão em andamento e os que já estão aprovados para um futuro próximo. Por meio dele fica mais fácil a tomada de decisão sobre o que é importante priorizar.

Para entender melhor, um exemplo é imaginar que a sua empresa está passando por uma redução de gastos devido a uma crise no setor. É ao PPM que você irá recorrer para ver quais projetos estão trazendo valor e capital para o seu negócio e quais podem ser interrompidos sem grandes consequências.

Enterprise Resource Planning (ERP)

Por fim, o ERP (ou Planejamento de Recursos Empresariais) é um único sistema de gestão que faz a integração de todos os dados da empresa, ou pelo menos os principais, podendo integrar outros sistemas como o CRM, o SCM e o PPM. Com ele, é possível eliminar a necessidade de fazer planilhas manualmente, além de otimizar o fluxo e acesso às informações, que ficam centralizadas e de fácil acesso para os colaboradores. 

Geralmente, o ERP começa a ser adotado na empresa para ajudar a administrar a gestão financeira, como fluxo de caixa e vendas. Depois, começa a integrar também o estoque, automatizar pedidos de compra, para então adicionar gestão de documentos e de projetos em um momento mais avançado da digitalização do negócio. Com isso, ele centraliza tudo em um lugar só, o que evita erros de cadastro ou perda de informações.

Segurança e digitalização: como proteger o seu negócio

Enquanto uma empresa digitalizada não tem problemas em relação a perder documentos físicos, seja por armazenamento errado ou algum acidente, a digitalização em rede exige seus cuidados também. Engana-se, por exemplo, quem pensa que é só passar todos os documentos para uma nuvem. Afinal, essa nuvem tem toda segurança que o seu negócio precisa?

Junto com os benefícios da digitalização dos documentos, novas ameaças podem por as informações da sua empresa em risco e, junto com isso, todo o seu trabalho até agora. Para evitar um cenário desastroso, confira qual a importância da segurança digital para o seu negócio e o que fazer para implementá-la.

Por que fortalecer a segurança do seu negócio é importante?

Não é surpresa que um dos maiores problemas de digitalizar o próprio negócio são os crimes cibernéticos e roubos de dados. Segundo um estudo da IBM, no Brasil, por exemplo, 6 em cada 10 pessoas sofreram com vazamento de dados. Se isso já é muito grave em termos pessoais, quando se trata de um negócio é mais ainda. 

Quando uma empresa não fortalece a segurança digitalmente, além dos dados da empresa estarem em risco, dados de clientes também estão. No caso, se acontece de eles serem vazados, isso pode resultar em uma imagem muito ruim para a sua empresa, afastando potenciais clientes também.

Além disso, hoje a proteção das informações é questão de lei no Brasil. Com a chegada da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), todas as empresas devem seguir regras para evitar ao máximo o vazamento de dados ou uso inadequado deles, tanto de fornecedores, colaboradores e principalmente clientes. 

Antes de entrar a fundo no que fazer para evitar a vulnerabilidade de dados, é interessante entender quais são os perigos que estão à solta no mundo digital.

O que exatamente o seu negócio está enfrentando?

Ameaças digitais geralmente são muito sorrateiras e entram sem que sejam percebidas, causando um belo estrago antes de serem detectadas e eliminadas.  Para entender um pouco melhor, saiba que existem inúmeras formas de hackers invadirem o sistema da empresa, mas as principais são:

  • Backdoor: é um software malicioso que serve como uma porta de entrada para outras ameaças. Quem é invadido pode ter todos os dados expostos e até alterados.
  • Phishing: é uma forma de atrair as pessoas a clicarem em links que instalam malwares no computador. Geralmente, vem em formato de e-mails que parecem muito verídicos.
  • Spyware: É outro software malicioso que vigia o comportamento de quem usa aquela máquina. Quando se trata de uma empresa com uma rede integrada, ele consegue ter acesso a todas as ações.
  • Worm: Não causa danos diretamente, mas é capaz de se multiplicar com facilidade e com isso transfere as informações pela internet ou outra máquina, com isso, diminui a velocidade do computador.
  • Cavalo de Troia: Parece um programa verdadeiro e, a partir do momento que é posto para funcionar,consegue ter acesso a informações, excluindo ou alterando o que quiser.

Essas são apenas algumas opções de ataques que computadores e redes sem segurança digital podem sofrer. Mas não há motivo para desespero: há muitas formas de evitar esses cenários e se preparar.

Como fortalecer a segurança da sua empresa?

Para evitar que a sua empresa esteja vulnerável, existem algumas coisas que você pode fazer para prepará-la para qualquer situação. Confira abaixo algumas delas:

Defina regras para a segurança

Seja contratando profissionais da área ou então investindo no treinamento dos que já trabalham na empresa, é muito importante que exista um time ou pelo menos alguns funcionários focados nessa área.

A partir desse time, é indispensável a criação de uma cartilha de dicas e condutas que devem ser seguidas por todos os funcionários. Nela, é bom não deixar detalhes de lado, dando exemplos como o que é phishing e como identificar um e assim por diante. Se achar que vale a pena, um treinamento com toda a empresa pode ser inclusive mais efetivo, assim é garantido que todos adquirem esse conhecimento. 

Ter uma política de segurança para a empresa significa definir quem tem acesso ao que e por que. Por exemplo, não faz sentido uma pessoa da área de marketing ter acesso à folha de pagamento dos funcionários. Cada profissional deve ter acesso a informações que sejam importantes para a realização do seu trabalho, afinal, quanto mais acesso várias pessoas têm, maiores os riscos. 

Outro ponto muito importante dessas regras é como serão realizados os backups, com que frequência e onde eles serão armazenados. Para definir isso é preciso entender a necessidade da empresa e suas possibilidades. No caso no backup, o mais indicado é que seja contratado um serviço de nuvem que forneça uma boa segurança e criptografia para manter as informações seguras.

Certifique-se que o seu site e dados estão em um lugar seguro

Na pressa para digitalizar o negócio, não é difícil empreendedores não tomarem o cuidado de pesquisar bem sobre a plataforma em que está hospedando ou armazenando o site. Essa pode ser uma porta de entrada de inúmeras ameaças se não tiver todos os pré-requisitos de segurança necessários. 

Alguns deles são ter uma boa infraestrutura com proteção aos dados, assim como fazer monitoramento constante do tráfego de informações para evitar a entrada de ameaças. Em outras palavras, certifique-se que a hospedagem tem algum tipo de web application firewall, que fará o monitoramento do tráfego, proteção contra tentativas de ataques e certificado SSL, que aumenta a segurança do site e também avisa aos usuários que é um ambiente seguro.

Contrate programas de proteção

Pesquise quais as opções que mais valem a pena para o seu negócio, mas não deixe de contratar serviços como antivírus, antimalwares e firewalls específicos para empresas. As duas primeiras opções são focadas em monitorar a rede, podendo identificar e eliminar ameaças de vírus nos computadores e evitar que eles tenham acessos aos arquivos, por exemplo. Já o firewall atua como uma barreira, permitindo a passagem somente de informações certificadas pela rede. É importante notar que ele obedece uma série de regras que devem ser elaboradas antes do seu funcionamento.

Sustentabilidade e a digitalização de um negócio: o que é empreendedorismo sustentável e por que adotá-lo?

Trazer o seu negócio para o mundo digital, automatizando vários processos e deixando enormes pilhas de papel para trás resultam em uma forma de sustentabilidade, uma vez que muitos desperdícios são cortados ao longo do processo. Para se ter uma noção, para cada tonelada de papel virgem, um total de doze árvores são necessários e mais de 500 litros de água são utilizados no processo.

Apesar da maior motivação das empresas ao apostarem na digitalização ser o ganho na produtividade e a redução de gastos, há quem queira ter o que hoje é conhecido como empreendedorismo sustentável. Ainda assim, para ter um negócio considerado sustentável, é preciso ir além da digitalização.

O que é empreendedorismo sustentável?

Empreendedorismo sustentável é quando as empresas, além de buscar lucratividade e crescimento, adaptam todos os seus processos de forma que eles respeitem o meio ambiente e evitem desperdícios. Isso acontece tanto nos mínimos detalhes, como evitar distribuir copos descartáveis, como em situações mais macro, como escolher fornecedores que também sejam sustentáveis e digitalizar processos.

Ao contrário do que muitos pensam, esse tipo de negócio visa acima de tudo o lucro, mas tentando encontrar formas de conquistá-lo de forma sustentável. Dessa forma, as estratégias elaboradas assim como os processos da empresa são todos pensados para não prejudicar o meio ambiente – ou prejudicar o mínimo possível. O que importa é crescer sem causar danos.

Por que é importante?

A preocupação com a saúde do planeta deixou de ser um luxo e cada vez mais é uma questão central e um fator decisivo para os negócios. Exemplos disso são tanto a cobrança do público em relação a um posicionamento cada vez mais correto das empresas como dos investidores, que hoje analisam fatores como a pegada de carbono da empresa e uso da água para decidir se vale ou não investir.

Segundo uma pesquisa da McKinsey, os fatores mais importantes para adotar uma estratégia sustentável são:

  • Alinhar-se aos objetivos, missões ou valores de uma empresa;
  • Construir, manter ou melhorar a reputação;
  • Atender às expectativas do cliente;
  • Desenvolver novas oportunidades de crescimento.

Como apostar no empreendedorismo sustentável?

Ter uma empresa sustentável, como já dito, envolve etapas como digitalizar os negócios, mas vai além. A estratégia muitas vezes tem que mudar, os fornecedores, os processos. É claro que tudo isso não precisa ser feito do dia para a noite, mas antes de começar é importante que todos estejam envolvidos.

Envolva toda a empresa

Para transformar um negócio em sustentável, será necessário ajuda da empresa como um todo. Por isso, uma das primeiras coisas a se fazer é promover uma conversa ou apresentação de conscientização sustentável para toda a equipe. É imprescindível que eles entendam os benefícios e os novos rumos da empresa, assim como que as mudanças serão feitas de forma gradual.

O ideal é que a empresa como um todo se sinta parte da mudança, tomando iniciativa e propondo ideias. Para isso, é preciso que a transformação do negócio seja vista não como um conjunto de regras, mas como uma responsabilidade da empresa e do time com a sociedade e com o ambiente.

Repense uma estratégia sustentável

Uma vez adotado o objetivo de tornar a empresa sustentável, é preciso reavaliar as estratégias dela, assim como criar outras que vão de acordo com a nova realidade.

Entenda o cenário atual

Sempre antes de definir objetivos ou caminhos é imprescindível entender a realidade do negócio hoje. Por isso, em termos de sustentabilidade como está a sua empresa hoje? Algumas perguntas nesse estilo precisam ser feitas. Confira algumas que podem ajudar:

  • Qual o desperdício gerado pela empresa?
  • Qual o impacto dela nos entornos?
  • Há alguma iniciativa sustentável? Qual?
  • Candidatos a vagas de emprego admiram a empresa por algum motivo?

Defina os objetivos

Depois de entender qual o ponto de partida, deve-se entender qual é a chegada. Ou seja, onde a empresa deverá chegar em termos de sustentabilidade em um determinado período de tempo. Essa etapa vai de acordo com o que os empreendedores entendem que é o melhor para o negócio e para o interesse deles com essa iniciativa. 

Crie caminhos

Ligar o começo ao final é a elaboração da estratégia. Existe um ponto importante aqui que se não for feito com cuidado poderá prejudicá-lo: antes de sustentável, o seu negócio precisa ser lucrativo. Afinal, para servir de exemplo para outras empresas e para lutar por uma causa, é importante que a empresa consiga se sustentar e crescer.

Para definir as estratégias, tenha em mente os objetivos delimitados, assim como uma percepção geral da sua empresa e do mercado. Por exemplo, é possível economizar energia com equipamentos certificados e realizar a troca já faria uma grande diferença. Outra questão é o público: seus clientes têm interesse em produtos sustentáveis? Eles pagariam mais por isso? Segundo a Unilever, 33% dos consumidores afirmaram que preferem comprar de marcas que fazem o bem social ou ambiental.

Entregue resultados

Vender o discurso da sustentabilidade para sua equipe e público não basta: é preciso ter resultados que comprovem essa mudança. Pode ter certeza que seus clientes ficarão de olho e, em qualquer sinal de mentira, o seu negócio pode ficar conhecido de uma forma muito negativa no mercado.

Por isso, busque resultados rápidos. Uma forma de fazer isso é priorizar mudanças que são mais rápidas e já podem surtir efeitos positivos. Um exemplo é dar canecas ou copos personalizados como incentivo para o time parar de usar copos descartáveis, assim como trocar embalagens de plástico por outras de materiais reciclados, o que já causa um impacto nos clientes também. Mas lembre-se de não parar por aí!

Digitalização é apostar no presente e no futuro do seu negócio

Além de oferecer vantagens em cortes de custos e aumento de produtividade, apostar na digitalização do negócio é um investimento no presente e no futuro da empresa. As análises geradas por ferramentas trazem informações extremamente úteis para pensar em estratégias e se destacar dos concorrentes, assim como ter uma presença online é garantia de que o seu negócio não dependerá somente de um canal de vendas e, numa crise, poderá continuar sem grandes consequências.